segunda-feira, 10 de setembro de 2007

VÃOS

Invento este amor
que te escrevo
em letras de ternura e traição
e te acolho na noite vazia
quase nua,
quase tua..

12 comentários:

Moacy Cirne disse...

"em letras de ternura e traição": ou seja, em noites de poesia e paixão. Um beijo. Gostei do poema, viu?!?

Acantha disse...

Sempre preciso, sempre gentil, MOACY.. Obrigada!

Jens disse...

Oi Florzinha.
Fiquei com vontade chorar. Não sei a razão.

ACANTHA disse...

Não mesmo, JENS??

Gustavo Chaves disse...

quase :(
que texto lindo!

sandra camurça disse...

Ai, o que é que eu vou dizer? Gostei, é isso: GOSTEI!

BEIJOS.

ACANTHA disse...

Que comentário lindo, GUSTAVO!

ACANTHA disse...

Você é suspeita, SANDRA!! Sempre diz que gosta....

paulo bono disse...

(o mesmo comentário anterior, apenas com o remetente correto)

Sim, Acantha. espalitei os dentes depois da empada. não sei nem o que um espalitador de dentes faz aqui num blog bacana e sensível como o La Vie.
grande abraço

ACANTHA disse...

ESPALITADORES de dentes são muito bem-vindos no La Vie!
Em blogs sensíveis e bacanas, tenho certeza que também...
Mas meu lado B é no www.banalidades-raras.blogspot.com
Embora muitíssimo distante do seu talento, ESPALITADOR...

Vieira Calado disse...

Estive a ler todos os poemas e devo dizer-lhe de que muito os apreciei
Voltarei um destes dias.
Um abraço.

ACANTHA disse...

Volte sempre, VIERA CALADO! E, um elogio vindo de você me sensibiliza deveras!