segunda-feira, 26 de novembro de 2007

PAUSE/CONTINUE

Abraços indecentes,
beijo na boca,
me entrego como queres -
fêmea louca, inteira,
além das muralhas,
ironias,
prazer e tortura
ofertados a quem?
sei o que queres,
sabes que queres a pele,
pernas, corpo além..
não!
Mulher que sou de cama, chão,
tesão e sussurros,
ardores, ardências e inconseqüências,
cio e umidade recrudescentes,
avanços e aceites,
mãos, boca e fantasias
vívidas, vividas e latentes...
Nunca escritas.
Irrefreáveis.
Irreveláveis...

24 comentários:

Vais disse...

Olá Acantha,
Menina, 'abraços indecentes, beijo na boca'
ui, ui, ui, esquentou
beijo na boca é o que há!
beijo grande

Natália Nunes disse...

Nossa, que forte! Ardido!
Muito bom :)


Beijão!

sandra camurça disse...

Uaaaaaaaaau! puf puf puf...Fiquei sem fôlego...

Beijos.

Erika disse...

ai ai... beijo na boca...

Beijo.. ótimo final de semana

www.oncoto.erikamurari.com.br

Paulo Bono disse...

a coisa aqui tá boa.

acantha disse...

Se é o que há, VAIS... Se é..

acantha disse...

Obrigada, NATÁLIA!!! Ardido também é bom..

acantha disse...

SANDRA.... Juízo! Ou melhor... Não muito, minha linda...

acantha disse...

Reportando-me à Vais, ERIKA... Beijo na boca é o que há. Se é..

acantha disse...

Tem música, não, PAULO??? Olha quem tá fora...

Moacy Cirne disse...

Erotismo à flor da pele, erotismo à flor da poesia: quereres & ardores. Beijos.

Anônimo disse...

Ardente!

Ada (adalima@gmail.com)

acantha disse...

E ardências, MOACY querido...

acantha disse...

Meio "enrubescente", ADA...

Ane Brasil disse...

Nossa! que lindo!
posso mandar pro nego véio?
Sorte e saúde pra todos!

acantha disse...

Claro que pode, ANE!!!

Francisco Sobreira disse...

Acantha, estou testando comentário. Depois falo com você. Beijos.

Natália Nunes disse...

Ô, Acantha, querida, muito obrigada por suas palavras, elas me são incentivo!


Beijão!
:D

Acantha disse...

À vontade, FRANCISCO querido!

Acantha disse...

São sinceras, NATÁLIA!!!

Paulo Bono disse...

bala de pinha? vixe.

abraço, Acantha

acantha disse...

De pinha não, PAULO??

Lucas Parente disse...

Que fornalha!

Cio de tigresa indomada!

Ofereço-te um pedaço do poema The Tyger, de Blake, na tradução de Augusto de Campos:

(...)
Em que céu se foi forjar
o fogo do teu olhar?
Em que asas veio a chama?
Que mão colheu esta flama?

(...)
Teu cérebro, quem o malha?
Que martelo? Que fornalha
O moldou? Que mão, que garra
Seu terror mortal amarra?

Abraços.

acantha disse...

LUCAS?
Preciso aprender os mistérios do fogo prá te incendiar...