segunda-feira, 11 de junho de 2007

ENTREGA

é assim...

minha boca te buscando

calor , frio, privação, doação

te levar para longe do senso, do sentido

fome escolhida

desejo desesperado

enquanto você cresce e se avoluma e se despeja...

sensações que me fazem querer sugar mais..

da tua alma

6 comentários:

Jens disse...

E é assim que eu me entrego
na esperança de que possas saciar minha fome de delícias
minha sede de volúpias.
E é assim que eu me entrego
sem ocultar segredos e sonhos
disposto a renascer em teus braços
e ir conjugar o verbo no infinito

ACANTHA disse...

Que tal fazer uma vie bohème, JENS?? Você é ótimo!

Jens disse...

São suas palavreas que me inspiram. Você é muito gentil. Não sou ótimo, sequer razoável. Sofrível, talvez. O sujeito com quem converso todas as mnahã diante do espelho diz que devo me comportar. Vou tentar.

sandra camurça disse...

"sugar da tua alma", é ? Sei...
Sensualíssimo teu poema, Acantha.
Acho que mexeu um bocado com nosso amigo JENS (risos) que tá poetando muito, mesmo!

Beijos, Sra. Volúpia.

ACANTHA disse...

Não admito discussões sobre meus achismos, JENS!

ACANTHA disse...

Sra. Volúpia, EU, SANDRA???? Quem diz... (Ai que delícia você por aqui de quarta!!!!)