quarta-feira, 16 de maio de 2007

VAGANTE

os sonhos
(in) possíveis
não me deixam adormecer.

7 comentários:

Jens disse...

Florzinha, você é um caso sério. Poetas (do verbo poetar) muito bem.

Moacy Cirne disse...

Um poema na exata dimensão da verbalidade que se faz Poesia. Um abraço.

Moacy Cirne disse...

Oi, tomei a liberdade de publicar o seu poema no Balaio Porreta. Um abraço.

Acantha disse...

JENS, você é um caso sério. Faz de mim o que não sou, mas me torna muito feliz!

Acantha disse...

Gentilíssimo MOACY: só posso, encabulada, agradecer muitíssimo...

Francisco Sobreira disse...

Agatha,
Vi esse poema no blogue do amigo Moacy e gostei tanto que vim lhe fazer uma visita. E saio daqui com uma impressão muito boa. Gosto mais de poemas curtos (embora, claro, goste dos mais longos, desde que sejam bons), o que parece ser a sua especialidade. Um beijo.

ACANTHA disse...

Especialista em algo, EU, FRANCISCO?? Quem me dera.. Adorei o comentário!