terça-feira, 31 de julho de 2007

Abro espaço para a dor..
um passo. um pouco. um pouso.
A clara visão do abismo..
rastro banal do que chamam vida.

8 comentários:

Jens disse...

Não quero ver você triste assim...

Acantha disse...

"...Vamos sair? Prá que saber onde ir...?"
É você quem vai pagar a conta, JENS... (Melhor assim?)

Francisco Sobreira disse...

Cara Acantha,
Cada vez mais admiro a sua capacidade para dizer tanto em tão poucas palavras. Um grande abraço.

Acantha disse...

Você é muito mais gentil do que eu mereço, FRANSCISCO.. Bom que esteja de volta!!!

sandra camurça disse...

Puxa, Acantha, muito belo.
Beijos.

Moacy Cirne disse...

De aliteração em aliteração, a poesia supera a dor. Um beijo.

ACANTHA disse...

E você muito doce, como sempre, SANDRA!

ACANTHA disse...

MOACY... Só o tempo e a própria dor superam a dor... Ou não?