terça-feira, 9 de setembro de 2008

SONHO Nº 3


Abro minha caixa de guardados
e entre recortes e fragmentos,
deixo partir o que não fomos,
não pudemos.


Olho além da imagem
e calo silêncios e desejos,
para que durem as palavras

e o que não tivemos.

Deixo que se esvaiam
pelos mares
meus mapas indecifrados.


Naufrago na idéia do teu ser.

Quero sim esquecer.
Mas não posso mais.








13 comentários:

Anônimo disse...

Eu também,querida, gosto de tudo que vem daí, gosto pra sempre. Beijo. Viva a Vida! Ro

Natália Nunes disse...

esse final foi forte...

sandra camurça disse...

belo e melancólico poema, menina... ou serei eu a melancólica?
beijos e saúde!

Romário Gomes disse...

Naufrago na idéia do teu poema. Ou, pelo menos, queria... Em todo caso, sonho sua essência, com encantamento!

Moacy Cirne disse...

Caixa de guardados: seus poemas, seus sentimentos, seus silêncios. Beijos.

Marcelo F. Carvalho disse...

Eu adoro me inspirar em você, mas quem foi que disse que consigo acompanhar? hehehe... Um dia eu faço poesia!
Abraço forte!

Ada disse...

Belíssima peça...

Vieira Calado disse...

Passei para ler e deixar beijoca.

Vieira Calado disse...

Não entre em desespero!

Amanhã é dia novo.

Bjs

Manoel Carlos disse...

Triste.
Como diz Vinícius em Samba da Benção, por vezes a beleza exige um pouco de tristeza.
Manoel Carlos

Vieira Calado disse...

Parece que faz um tempinho que aqui não vinha.
Passei para ler e deixar cumprimentos

Vieira Calado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ane Brasil disse...

a dor do amor que não se amou... a pior das dores...
Enfim, nada que duas noites de choro e alguns copos de vinho - seguidos de um novo amor, é claro - não resolvam
Sorte e saúde pra todos!